domingo, 29 de agosto de 2021

 Àqueles, que cegos, não veem obstáculos;


Surdos, não ouvem os desaforos;


Loucos, constroem, realizam, transformam e vivem uma nova história.


Salve, Filhos d'Africa!



Lume



Requebra, preta

Rainha és

Arrebenta as correntes

Clama em reggae, rock ou hip Hop

Reclama em samba, blues ou jazz

Arranca das bocas a mordaça

Expõe toda beleza e graça

Porque tua corte quer passar

Requebra, mostra tua história

Solta o grito,  

Liberta a garganta

Pega teu rei

Pega teu cetro

Tua veste mais colorida

Tua coroa de esmeraldas

E desfila

Na cadência

Na força

Pra tua corte passar

Traz o teu canto afinado

Deixa tua alma sentida

Deixa teu corpo luzir

Deixa-te ser Sol

Deixa-te ser Lua

Deixa ser

Sempre luminar.

Orienta, mulher!

Orienta-se, mulher!

Fere mentes

Fere olhos

Ordena

Desordena

Reordena

Ofusca

Desatina

O diamante

É você

O diamante

É você



O diamante

Somos nós.

domingo, 9 de maio de 2021

Feliz Dia das Mães!



Entre tantos conselhos

Em meio ao cansaço

Quando sorrio

Ou quando choro

Se me surpreendo

Ou me apavoro

Se a alegria é tanta

Ou a decepção é muita,


Importa ter o teu colo, Mãe

Pra valer a pena continuar.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Questão

 

Quantas primaveras tens

Pra contar ?

quantos contos

De verão viveste

Até aqui chegar?

Quantos espinhos colheste

Antes da flor desabrochar

Quantos arranhões sofreste antes da dor acalmar?

Quantas primaveras tens?

Tens bagagem pra afrontar

Pra levantar o dedo e apontar

Já foi podado para brotar

Já foi arrancado depois de aflorar?

Quantas primaveras tens

pra arrogar?


quarta-feira, 1 de julho de 2020

Do ser

Para Manu.






Floresce plena
Irradia
Reina
Quer ser só
É sol!
Gira
Apreende
Aprende
Brilha intensamente.
Não é só
É girassol

quarta-feira, 20 de maio de 2020

João Pedro





No início do caminho: um nó
No meio do caminho: um nó
Junto ao nó, a prisão
Junto ao nó, o açoite
Junto ao nó, a desumanização
Junto ao nó, a banalização
Junto ao nó, a covardia
Junto ao nó, a ignorância
Depois veio a bala
E veio o alvo
E o alvo juntou-se ao nó.
E o alvo subiu os morros
E o alvo saiu das escolas
E o alvo não pôde ser universitário
E o alvo não pôde ser doutor
Porque era alvo.
E o nó cego fecha a garganta
Do alvo
De todos os alvos
Da bala política
Da bala perdida
Que sempre encontra o alvo
E o nó que fecha o caminho
Também fecha a garganta
Do pai
Da mãe
Da irmã
Do irmão
Do filho
Do amor
Mas são todos alvos
Correndo de caçadores
Amarrados ao nó
Da imodesta crueldade
O nó que ninguém desata.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Redenção




Abram a janela
Contemplem o azul de outono
Debrucem sobre o verde.
Esperança há.
Ela se materializa todos dias
Espera que a notemos

Abra a mente e escreva uma história
Na claridade do dia.
Abra o coração e acredite:
Virá o melhor!

As sombras não resistem à mais frágil luz
"Levante e fique de pé"*
A força está em
Escreva uma história
Na claridade do dia
Que as sombras nos sirvam de tinta, Indelével,
Na escrita deste capítulo.

Coragem! Vai passar.



*Get up, stand up - Bob Marley.
Imagem: @murilodomeio

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

Anúncio

Ele se insinua na esquina. Inocente e nu, espera ser vestido por nós, por nossa expectativa, desejo e esperança... 

Não. Ele não será perfeito, mas com certeza, único. Construído, individualmente, para ser pleno quando coletivo.

Ele se insinua na esquina: puro, incolor, informe! Espera por nossas mãos  para haver...

Que haja e seja, então, a melhor impressão de cada um.

Feliz construção!
Feliz 2020!