quinta-feira, 31 de março de 2011

Gratidão.



Gosto de estar só
Adoro o barulho do silêncio em meus ouvidos
Pôr os pés sobre o sofá
Respirar
Não ter compromissos


Gosto de filmes românticos
De finais felizes
De beijos longos
De paixão no ar


Gosto do barulho da chuva nos eucaliptos
Emoldurado por minhas janelas
Da cor berrante do bouganville
Que alegra meu dia


Gosto do canto bem-te-vi
Das maritacas tagarelas
Invadindo o espaço
Dos beija-flores perdidos em meu lustre


Gosto das longas conversas com meu marido
Do barulho incessante da minha filha
De música
De escrever


Gosto do coaxar dos sapos
Em noite de chuva
Do cheiro marcante da dama-da-noite
Do canto tristonho do vento em dias de tempestade


Gosto do privilégio de estar aqui
De sentir
De viver
Gosto do gosto que a vida tem.

terça-feira, 29 de março de 2011

Tédio



Perco o tom dos pensamentos
A cabeça gira vazia
Busco em vão recordações
Nada, porém, preenche o meu dia.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Acróstico



Música correndo nas veias
Apaixonado coração que
Não desiste de sonhar e
Ouve sempre sua inspiração
Eclético e entusiasmado
Leve de corpo e alma.

sábado, 26 de março de 2011

quinta-feira, 24 de março de 2011

Círculo viciante


Olhares e
Mãos dadas
Carinhos e
Beijinhos
Olhares e
Mãos dadas
Carícias e
Beijos
Corpos atados
Frêmito
Êxtase...
Tudo de novo!

domingo, 20 de março de 2011

Revival



O vento sopra a meu favor
Um cheiro novo entorpece minhas narinas
Recomeçar
Bate o meu coração
Viver
Grita a minha garganta
Minha mente devaneia
Meus olhos lacrimejam
Aqui onde estou
Há vida
Há vida
Recomece, coração
Solte o grito, garganta
Enquanto isso, a mão escreve

segunda-feira, 14 de março de 2011

Desafio



O rio está diante de mim
Suas águas são profundas
Às vezes claras, às vezes turvas
Ele me fascina.
Titubeio: mergulhar ou fugir?


O rio está diante de mim
Provoca-me
Entorpece-me
Me chama


Finjo não ouvir sua voz ecoando por meus poros
Quero banhar-me
Quero fugir
O mergulho não tem volta
O fugir também não


O rio está diante de mim
Mergulhar não é preciso
Fugir sim.

sábado, 12 de março de 2011

Shhhh!



Não diga nada
Deixa o silêncio dizer
Deixa o barulho da tua mão percorrendo meu corpo
Deixa o estalo do teu beijo na minha boca
Deixa o ranger da cama que nos acolhe
Deixa os gemidos sussurrados
Deixa a chuva lá fora
Deixa a nossa sintonia
Deixa a nossa sincronia
Gritar de prazer.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Espelho




Não sei onde você está
Não sei se sorri
Não sei se chora
Não sei se é feliz
Não sei se é triste
Não sei!


Sei que mora em mim
Sei que sorri em mim
Sei que em mim nunca está triste
Sei que tua ausência é presente
Sei que meus sentidos o conhecem
Percebem-no


Não sei se um dia o verei
Que importa
Vejo-o em mim todos os dias
Vejo-o em tudo que me cerca
Vejo-o em todo perfume que me inebria
Vejo-o em todo gosto que me delicia
Vejo-o em cada toque que me emociona
Vejo-o em cada som que me desperta


Como é presente a tua ausência!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Verdade

Para o Manoel, meu par. 
Esse teu jeito sereno
De amar tudo em mim
Me deixa encabulada
Meio menina
Sem ação
Esse teu jeito sereno
De gostar do meu gosto
De gostar do meu cheiro
De me beijar inteira
Me deixa assanhada
Meio moleca
Com tesão
Esse teu jeito sereno
De me acolher sempre
De me abraçar
De me beijar
De dizer que me ama
Me deixa completa
Me leva ao êxtase
Me deixa saciada.

terça-feira, 8 de março de 2011

Sou mulher!




Gordinha
Magrinha
Alta
Baixinha
Preencho a vida de alguém
Calada
Faladeira
Concentrada
Distraída
Aninho em meu ser outro ser
Sou mulher!
Caseira
Saideira
De família
Ou nem tanto
Sou incógnita, distribuo porquês
Aos prantos
Às gargalhadas
Perfumada
Ou suada
Por onde passo, encanto
Sou assim:
Transbordo vida
E se nem sempre sou boa...
Com certeza, sou mulher
Teu complemento perfeito.